24 de julho de 2011

Weddings…

Embalada pelo grand finale de B&S que teve um casamento lindooooo com direito a emoções, choros, encontros, beijos e muitas alegrias, me vi olhando o meu albúm de casamento, nossa parece pouco tempo mas, já se passaram cinco anos, parece que foi ontem que eu estava no carro, toda pronta, quase sem ar de tanta ansiedade….Nossa,  como eu estava ansiosa com tudo aquilo…feliz mas, ansiosa… revendo as fotos, todas as emoções daquele dia voltaram, a ansiedade, a alegria, o medo de algo dar errado, o encantamento do momento, o frio na barriga, a felicidade de compartilhar algo tão precioso para mim com pessoas tão queridas, a sensação única de estar vivendo algo mágico enfim, um sonho, o meu sonho…acho que toda noiva quando se olha no espelho vestida de noiva para no tempo, lembro qdo terminei de me vestir me achei uma princesa, estava radiante, acho que o amor faz essas coisas, deixa a gente iluminada, por isso toda noiva sempre aparece, a sua maneira, linda e radiante…. O casamento é a personificação e a celebração do amor em um de seus melhores momentos. E me digam, existe algo melhor do que celebrar o amor? Eu se pudesse casava todo ano, celebrava cada ano de vida compartilhada e não é pela festa ou pelos amigos mas, pelo simples fato de estar amando e poder dividir esse amor com alguém, pode parecer piegas mas, não é fácil estar casada, se relacionar, e aqui não digo em uma posição pessoal, digo em uma posição universal, se relacionar é complicado, seja com o parceiro, seja no trabalho, seja na família, isso porque estamos lidando com pessoas e cada um tem a sua carga de emoções, o seu passado, as suas neuras e manias, os seus medos e inseguranças, etc etc etc… por isso me alegro e muito qdo vejo um casal feliz seja jovem ou bem velhinhos, adoro ver velhinhos juntos, se amando, cuidando um do outro como se nada e ninguém no mundo pudesse abalar aquele elo, aquela ligação…eu tenho em casa um exemplo muito bonito de um amor p vida toda, os meus avós emprestados que ganhei qdo casei, tenho certeza que eles, como qualquer outro casal passaram por provações, maus momentos, tristezas e eventualmente até rompimentos mas, mesmo assim, seguiram, não pararam e se perderam nas coisas chatas ou ruins que podem acontecer, lembro que uma vez o meu avô emprestado falou ” nesse tempo todo juntos, mesmo zangado, eu nunca deixei de dormir ao lado dela, nunca deixei ela achar que a minha mágoa era maior que o meu amor, só dormi sem ela qdo estava viajando.” isso eu nunca mais esqueci,  por isso, me emociono e ainda me encanto com os pequenos cuidados, os pequenos gestos de carinho, com a paciência que aparece nos momentos em que normalmente  ela deveria faltar, com a fé de que tudo vai dar certo qdo tudo aponta na outra direção, com as pequenas alegrias, com o simples fato de estar ao lado, enfim, com tudo que envolve o estar casado e se relacionar.  Me encanta ver casais  de tanta  idade ou pessoas tão jovens se casando, ver tais atos renova em mim toda a fé no amor, na capacidade do ser humano de se doar, de acreditar que  amar vale a pena, eu amoooooo ver noivas e noivos radiantes, com uma alegria sem fim nos olhos, com aquele encantamento… isso é muito bom, renova a gente, não é incomum eu ficar horas do meu tempo vago olhando fotos de casamentos por aí, gosto de tudo, das flores, da decoração, do clima, da energia, dos momentos mágicos e delicados que só um fotógrafo sensível consegue pegar, acho que se eu não fosse advogada provavelmente estaria metida em algo ligado a casamentos, ou fotos, ou decoração enfim, qq coisa, amo o trabalho  da Constance Zahn e o blog dela, me perco ali… viajo, relembro do meu casamento, da hora em que eu entrei e vi o melhor dos meus presentes lá no altar, me esperando, tão nervoso qto eu…ao som de Kiss You da Desiree!  Para mim nada é mais emocionante e verdadeiro do que celebrar o amor e para isso não precisamos de uma big festa precisamos apenas ser verdadeiros nos nossos sentimentos e acima de tudo amar sem restrição ou imposição, se entregar por inteiro de corpo e alma… celebrem os seus amores, compartilhem as suas alegrias e agradeçam as pessoas especiais que existem em suas vidas. Que o encantamento e a magia presentes nos casamentos possam ser uma constante em nossas vidas e que sempre possamos nos olhar de maneira doce e gentil, pois amar é gentileza, é cuidado, é doação e troca,  de carinho e  de respeito.  E viva o amor!!!

Fonte: Fotos do Site Constance Zahn. Fotógrafos e créditos lá.

Beijos, Paty
Comentários  |  1
24 de julho de 2011

Ainda desacelerandoooo!!!!

Ainda na linha “desacelerando” vale relembrar algumas dicas preciosas para administrar o estresse, não adianta ficar encanado ou entrar naquela onda de que tem que parar tudo, virar monge, zerar e buscar uma outra vida, tudo isso é possível mas, muitas vezes muito mais estressante do que vc aprender a lidar com o seu estresse diário, portanto, não se entregue ou sucumba a ele, simplesmente administre e aprenda a identificar o que te faz bem e o que te faz mal, é isso digo não só em relação a trabalho, mas, em relação a tudo, a trabalho, a atividades em geral, a relacionamentos, hábitos, enfim, tudo que direta ou indiretamente possa te gerar um desequilíbrio e em consequência, o tal do estresse. Não pense que é fácil, é uma batalha diária de observação sua no sentido de entender os seus limites e o que o seu corpo tolera ou não, o lance é saber conviver e tirar o melhor dele e não o pior, eu faço a minha “mea culpa”, sou um ser totalmente pilhado, acelerado  e mega estressado mas, hj, consigo administrar bem melhor do que há 04, 05 anos atrás, antigamente eu pilhava e ficava naquela piração, ficava cega, não pensava, simplesmente estressava, brigava, etc etc etc, até o ponto que pirei de vez e surtei geral, pedi demissão, quis largar tudo e em parte larguei, mudei totalmente de vida, enfim, tudo que manda a ” cartilha dos estressados redimidos” e o que adiantou? Muito pouco, pq os hábitos e opções que me levaram ao pico do estresse continuavam, por isso, é preciso observar e mudar aquilo que te desequilibra e não deixar que o estresse te consuma e te faça pirar.  Como tudo da vida, temos q com o estresse tb aprenda a lidar. Por isso, respeite os seus limites e a sua condição, não se cobre demais, não exija demais de vc e dos outros, respeite as diferenças, tolere, não conte até 10, conte até cinquenta se for necessário, aprenda a digerir, respire, exercite a sua mente e mais ainda o teu corpo, grite qdo quiser, esbraveje qdo precisar mas, volte para o seu eixo, para o seu ponto de equilíbrio. Fácil não é, é um exercício diário mas, vale a pena, ainda estou aprendendo, quem me conhece  sabe que vira e mexe eu dou umas “micro piradas” mas, volto ao eixo e isso hj só acontece pq encontrei formas de enfrentar e administrar o que me tensiona! É isso aí, segue uma matéria bem legal do Mundo das Tribos sobre o estresse e o que podemos fazer para diminui-lo. Enjoy it!

Dicas para desestressar a mente

O estresse é um dos vários males típicos da era moderna. Com tantas possibilidades e formas de se aproveitar melhor o tempo acabamos nos sobrecarregando de tal forma que em um dado momento em que nosso cérebro mal consegue processar alguma informação nova ou sofre um verdadeiro branco. É quando nossa mente dá sinais de que está precisando de um tempo.

Nesses momentos precisamos de um descanso. Uma folga para desestressar a mente já tão atribulada por milhares de tarefas e tempo contado escrupulosamente no relógio. Hora de desacelerar.

Parece impossível, não é? Mas não é o caso. Veja só como conseguir um pouco de paz:

O que fazer para desestressar?

– Faça uma coisa de cada vez: Um dos atributos mais exigidos no mundo moderno é a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo, mas também é preciso entender que o cérebro nem sempre aguenta. De vez em quando é preciso fazer uma coisa de cada vez. Pode ser que a tarefa demore um pouco mais para ser concluída, porém no fim os resultados podem ser melhores.

– Desacelere: Para que ter tanta pressa? Vá mais devagar, respire mais, aproveite mais. Desfrute. As vezes é preciso desacelerar para perceber aquilo que está a nossa volta. Viver com pressa faz mal ao cérebro e também a saúde. Isso vale inclusive para as pequenas coisas: andar, comer, ler. Tente fazer as coisas no seu próprio ritmo.

– Respire: É algo bem simples, porém muito eficiente. Sinta sua própria respiração, mantenha-se atento a ela. Não tem mágica, basta respirar fundo e relaxar. É o primeiro passo para que as coisas possam fluir de forma mais calma ao seu redor.

Alongue-se: Se você associa alongamento aos exercícios físicos e automaticamente fica com preguiça, pode esquecer do assunto pois usarei um termo melhor. Dê aquela espreguiçada lenta e gostosa quando estiver tenso demais. Isso lhe dará mais ânimo, mais disposição e também mais calma.

– Procure a paz: Por pelo menos algum tempo tente fugir dos ambientes caóticos. Procure um lugar onde possa contar com silêncio e não possa ser interrompido com tanta facilidade. Tente esvaziar sua mente das preocupações de costume, tente se concentrar em si mesmo e finalmente relaxar.

– Tenha um momento só para si: É preciso cuidar de si mesmo, mas para isso é necessário reservar alguns minutos. Tenha algum ritual relaxante, que te ajude a descarregar a tensão do dia-a-dia. Pode ser um banho mais demorado, uma massagem nos pés. Coisas simples, mas que proporcionam efeito o bastante para melhorar. São pequenos prazeres que funcionam como um prêmio ao fim de um dia que possa ter parecido tão longo.

– Tenha uma boa noite de sono: Momentos de descanso devem ser aproveitados, portanto não leve seus problemas para a cama. Relaxe e aproveite o máximo que puder para acordar revigorado e pronto para resolver as pendências no dia seguinte em horários e momentos mais convenientes.

– Faça o que gosta: Qual o seu hobby? Procure fazer o que gosta quando estiver em momentos de descanso ou esteja tentando limpar sua mente. Tem quem goste de escrever, de ouvir música, cozinhar, ler um livro ou assistir um DVD. Faça isso por você mesmo. Fazer aquilo que gosta ajuda muito na tarefa de desanuviar a mente.

São coisas simples, mas que podem fazer uma grande diferença no fim. Porém procure fazer disso atos espontâneos e não fórmulas mágicas. Quanto mais espontâneo for, melhor será na hora de desfrutar dessas pequenas coisas.

Beijos, Paty
Comentários  |  0
23 de julho de 2011

A ordem é desacelerar….

Depois de uma semana de cão, ou melhor do cachorro louco, pude as 21.30hs começar a desacelerar … o fim de semana está aí e nada melhor do que se dedicar a desacelerar para recarregar as baterias e voltar com ânimo novo, nessa linha, vale tudo, massagem, leitura, sair para dançar, fazer amor, ficar garfildiando na cama, meditar, se alimentar de forma mais leve e consciente, beber um bom vinho, se reunir com os amigos,  enfim, qualquer coisa que tire vc do seu mundo, do seu dia a dia estressante… hj  mais cedo tive uma experiência bem legal, de repente, com um simples pacotinho de rosquinhas amanteigadas me vi relembrando fatos de minha infância, sabe quando dá aquela nostalgia, aquela vontade de voltar em um tempo que vc não se aborrecia, não se preocupava com nada a não ser com o seu lanche da tarde regado a yakult ou todinho e as tarefas da escola, a única coisa que te gerava qq estresse era saber quem teria o colo da mãe primeiro, pois é, pesquisando sobre isso, sobre os sentimentos que as comidas despertam, encontrei uma matéria bem legal sobre COMFORT FOOD, já tinha ouvido vagamente falar sobre isso em um dos meus milhares vôos da TAM mas, as vezes a gente tá tão pilhada que não acaba não observando e curtindo certas coisas, o que é um erro. Seja a comida, seja o prazer da companhia, seja um momento só seu, tudo deve ser absolutamente curtido pois, o tempo e os momentos especiais não voltam por isso, curtammmmm cada segundinho de tudo q a vida lhes oferecer e se mantenham abertos para se emocionar até mesmo com um simples pacotinho de rosquinhas que te traga alguma lembrança gostosa, como um brigadeiro de panela com colher numa tarde de domingo, é isso aí, hj é  sexta e temos o final de semana inteiro para desacelerar, recarregar as baterias e nos reinventarmos!!

Comfort food: comidas que lembram bons momentos e proporcionam bem estar!

 

” COMFORT FOOD: COMIDAS QUE RELEMBRAM BONS MOMENTOS E PROPORCIONAM O BEM ESTAR.

Não é de hoje que a maioria das pessoas se  preocupa com a alimentação. Mesmo   quem possui grande força de vontade e  determinação para manter uma vida saudável   às vezes deixa as emoções e  desejos tomarem conta do equilíbrio em busca de   prazeres. E, sendo os  alimentos uma das mais freqüentes fontes de prazer, é   neles que  encontram o conforto,a tranqüilidade e o bem estar que tanto precisam    diante da vida atribulada de hoje. Assim é que foram observados quais os    alimentos mais desejados e porque seriam eles os escolhidos para  saciarem toda   essa ansiedade, angústia, tristeza, medo, estresse da  modernidade.

As   emoções influem diretamente em nosso corpo e cérebro. A  partir disso, entende-se   que buscamos sempre algo que nos equilibre  seja no exercício, na música, artes,   na natureza…mas, o mais  procurado é o alimento, a comida que nos preenche e   nos acalma, que  nos traz conforto. Em situação de grande ansiedade e solidão, a   busca  por alimento é instintiva.

O ato de comer preenche espaços, inclusive no coração,   matando  a saudade e a tristeza. Esses são os chamados comfort food. Brian    Wansink, professor de marketing Ph.D., da Universidade de Illinois  ensina que as   pessoas cognitivamente associam importantes situações do  passado com comidas   específicas. A vontade do sorvete, por exemplo,  pode significar o desejo da   liberdade que possuía quando criança, dos  dias de passear no   parque.

Nesse caso, a atenção deve ser redobrada porque o alimento da    alma, nem sempre é bom para o corpo, principalmente quando recheados de  gorduras   e açúcares simples, consequentemente calóricos, influenciando  de forma negativa   na alimentação saudável.

Ao comer um alimento que nos lembre da   infância, podemos até  sentir a paz e tranqüilidade de que precisamos, mas também   pode trazer  sérios prejuízos à dieta, caso seja consumido rotineiramente    (obesidade abdominal o que pode levar a doenças cardiovasculares,  diabetes tipo   II e acidente vascular cerebral, doenças  cardiovasculares), pois nem sempre são   alimentos saudáveis, depende do  passado e da memória gustativa de cada um.   Docinhos, salgadinhos,  bolachas e outras guloseimas podem ser comfort food! Como   também, a  lasanha, a torta de morango ou mesmo a banana com aveia e mel.
“Os   nossos estudos sugerem que se aplica o conforto alimentar  como travões de um   elemento-chave do estresse crônico”, diz estudo de  Norman Pecoraro, PhD,   professor de fisiologia da Universidade de  Califórnia. E isso poderia explicar,   ele diz, porque muitas vezes é  procurado alívio em tais alimentos por pessoas   com stress, ansiedade  ou depressão. Ele também poderia ajudar a explicar a   bulimia e outros  transtornos alimentares.

Evolutivamente, o instinto   humano de comer alimentos que  propiciam conforto faz sentido. No reino animal, o   mundo normal é  comer ou ser comido, e um corpo sob essa constante ou crônica   situação  de stress opta por comer alimentos de alta energia para se manter no    jogo. É, por essa analogia, que explica o comportamento do ser humano na  vida   moderna quando somos constantemente gladiadores do tempo,  dinheiro, sucesso,   felicidade, realizações, metas,…

A utilização das comfort foods pode   explicar porque é  extremamente difícil perder peso, pois o fato de a maioria das   pessoas  desejarem emagrecer já é estressante literalmente, o que faz uma pessoa    se sentir ansiosa e os hormônios do stress acabam fazendo com que a  pessoa sinta   necessidade cada vez mais de alimentos que lhe tragam a  sensação de bem estar e   tranqüilidade ( alimentos de alta energia –  comfort food).

Estes   alimentos que proporcionam a sensação de conforto  através das emoções a que nos   remetem são consumidos na maior parte  durante os períodos de incerteza social e   crises. Um exemplo curioso é  o que foi observado nos Estados Unidos,   imediatamente a seguir ao 11  setembro 2001 em ataque terrorista ao World Trade   Center. Os  comerciantes americanos relataram um aumento significante das vendas    de itens alimentares, tais como sopas, purê de batatas, pudins,macarrão  com   queijo, salgadinhos e batata.

Tal relatório pode ajudar a explicar   porque é que o conceito  do comfort tornou-se tão importante nesse momento   específico da  história. O consumo de determinados alimentos confortantes e   saborosos  pode ser uma das maneiras principais que as pessoas encontram para    manter o controle.

Neste aspecto a Nutrição destaca-se por não proibir   ou  eliminar estes alimentos que de certa forma oferecem bem estar aos    indivíduos, mas orientar quanto, como e quando devem ser ingeridos e até  mesmo   adequações que possam a ser feitas, de maneira a torná-los  talvez mais saudáveis   .O consumo do comfort food deve ser direcionado  para alimentos mais funcionais e   naturais, oferecendo assim bem-estar e  melhor qualidade de vida, com todo o   prazer contemplado. Importante  lembrar que, atualmente, o aumento da incidência   de doenças  coronárias, pressão arterial, obesidade e outras, estão ligadas à má    alimentação dia a dia e não pelo esporádico e equilibrado de preparações  e/ou   alimentos tão importantes na vida de cada um.

A professora Reeves da área   da saúde de uma universidade nos  Estados Unidos explica o seguinte: “Não creio   que devemos negar esses  alimentos que nós próprios os temos como acessórios para   as emoções.  Se fizermos privar-nos, nós só iremos querer comer mais e mais.”

Fonte: site equilibrio nutricional

Beijos, Paty
Comentários  |  1
Página 739 de 745« Primeira737738739740741Última »