22 de julho de 2011

Run baby, run!!!!

O inverno logo logo já está acabando e surgem as primeiras neuras do movimento verão… ” tenho que emagrecer!” ” to flácida”, ” minha bunda ta c celulite” ” to barriguda” etc etce etc, as mulheres, e até mesmo os homens estão cada vez mais neuróticos em relação a sua aparência, o que não é legal muito menos saudável, assim, como ainda estamos em julho, e o frio não está dos piores, é hora de começar a se mexer e descobrir uma atividade que não só te faça suar e muitoooooo mas, que tb lhe dê prazer, aí vale tudo, dança, musculação, capoeira, tenis, squash, bike, padel, basket, voley, enfim, qq coisa, o que não pode é vc ficar parado e deixar para surtar de vez a beira do verão, ou seja nos últimos três meses antes de janeiro, Eu descobri a corrida e depois de dois longos meses parada volto esse fds com força totaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaallll, para dar uma estimulada tô pensando até em me inscrever numa prova, isso ajuda e torna tudo mais empolgante! Segue p vcs uma matéria bem legal do site Claudia! Boa leitura e ótima corrida!!! Run baby,  run!!!

“Benefícios da corrida

Shâmia Salem e Simone Ota / Fotos Fabio Heizenreder/Realização Noris Martinelli

Desde que a americana Kathrine Switzer participou disfarçada de homem da Maratona de Boston, nos Estados Unidos, em 1967, a corrida nunca mais foi a mesma: além de mostrar que as mulheres também têm força e resistência para percorrer 42 quilômetros, a corredora ajudou a criar provas específicas para o sexo feminino. Aos poucos, a moda chegou por aqui. Segundo dados da Corpore, entidade que organiza provas de rua no Brasil, desde 2003 são as mulheres que mais contribuem para o crescimento da modalidade – hoje elas preenchem 30% das inscrições. O Projeto Mulher, criado há oito anos, em São Paulo, pela nutricionista Heloísa Guarita e pela professora de educação física Cristina de Carvalho, é prova dessa grande demanda feminina pela modalidade. “Percebemos a necessidade de orientação específica para as mulheres que queriam correr e aprender a comer direito. Começamos com 15 e hoje são 150 participantes de diferentes faixas etárias”, conta Heloísa. Para quem acha que correr entre mulheres pode ser chato, a  especialista garante que não. “ Elas conversam, trocam experiências e se ajudam”, diz.

O que fazer antes de começar a correr

CHECK-UP
Antes de sair correndo por aí, é preciso avaliar a sua saúde com médicos especializados. “É fundamental fazer um check-up clínico, ortopédico, oftalmológico e até dentário, pois a presença de placa bacteriana, por exemplo, é capaz de afetar o rendimento”, afirma o treinador Wanderlei de Oliveira, da assessoria esportiva Run For Life e diretor da Federação Paulista de Atletismo, em São Paulo. Outros exames indispensáveis são avaliação física com eletrocardiograma de esforço, teste de capacidade aeróbica e de biomecânica, realizado em esteira para analisar o tipo de pisada.

AQUECIMENTO
É importantíssimo aquecer o corpo antes de começar a atividade. Faz parte desse ritual o alongamento, especialmente dos membros inferiores, o trote leve e os exercícios de amplitude, como passadas mais largas em um percurso plano e reto. Isso tudo deve ser feito de forma lenta e gradual para aumentar aos poucos a temperatura do organismo sem causar fadiga nem reduzir as reservas de energia. “De quebra, você ainda diminui os riscos de lesão e se prepara psicologicamente para todo o esforço que está por vir”, completa o Wanderlei de Oliveira.

Os mitos sobre a corrida

ENVELHECE
A dermatologista Andréia Mateus, coordenadora do departamento de cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, no Rio de Janeiro, esclarece: “Apenas o excesso de treino causa o que chamamos de lipodistrofia facial, que deixa o rosto flácido, alongado e abatido devido ao aumento da produção de radicais livres e à redução da gordura”.

CAUSA CELULITE
Pelo contrário. “A prática combate o aspecto de casca de laranja no bumbum e nas coxas, especialmente se for causado por problemas circulatórios, já que ativa de maneira intensa o fluxo sanguíneo e linfático”, diz Andréia.

DÁ VARIZES
Também não. Aliás, a melhora do retorno venoso ajuda a prevenir varizes. E mais: quem já tem o problema também está liberada para correr, sempre sob supervisão médica.

FAZ MAL AO JOELHO E À COLUNA
De acordo com o fisioterapeuta e osteopata Fábio An tonucci, da Academia Rio Sport, no Rio de Janeiro, o exercício só oferece perigo se for praticado sem orientação adequada, com tênis errado ou desgastado demais ou se a pessoa estiver muito acima do peso e apresentar problemas ósseos ou articulares.

A corrida faz bem para o corpo e para a mente

É UMA ATIVIDADE COMPLETA
Correr melhora a respiração, a circulação, tonifica os músculos, evita a perda óssea e fortalece o coração.

AUMENTA A DISPOSIÇÃO E REDUZ A TPM
“Recentemente descobriu-se que, além de endorfina, o cérebro libera outras substâncias capazes de gerar aquela sensação gostosa depois da corrida. Esse bem-estar reduz o impacto das atividades do cotidiano sobre o organismo e ameniza os sintomas da TPM”, afirma o fisiologista Luiz Augusto Riani, da Academia Bio Ritmo, em São Paulo.

COMBATE A DEPRESSÃO
Estudos feitos com pessoas que tomavam remédio e com outras que corriam cinco vezes por semana concluíram que os corredores tinham uma recuperação mais rápida e se sentiam dispostos, com mais energia. “Esse bem-estar e a queima de gordura persistem por algumas horas depois do treino”, garante Luiz Augusto.

Roupa ideal para correr

Boné
Fique com os modelos de aba longa, de tecido com filtro solar.

Óculos de sol
Escolha armações leves que ficam coladas ao rosto.

Top
O modelo ideal é cavado nas costas, para dar liberdade aos braços, e oferece boa sustentação aos seios. Deve ser de supplex, com forro interno, que facilita a evaporação do suor.

Short
Prefira os modelos com abertura lateral, para não dificultar o movimento das pernas. Melhor ainda se o tecido tiver elastano – a compressão diminui a vibração dos músculos, reduzindo a exaustão e a fadiga.

Tênis
Precisa ter um bom amortecedor. O impacto do peso corporal nas articulações é triplicado na reta e quadruplicado na descida. Confira também se o modelo é adequado ao seu tipo de pisada, para não prejudicar o alinhamento dos joelhos e da coluna, e se ele tem uma folga entre o bico e o seu dedão. Caso contrário, você pode ganhar bolhas e calos ou até perder unhas.

Meias
As próprias para corrida absorvem rapidamente o suor e oferecem proteção extra nos pontos de maior atrito.

Treino para iniciantes e intermediárias

A professora de educação física Cristina de Carvalho elaborou dois treinos exclusivos para CLAUDIA que podem ser praticados no parque, na esteira ou no calçadão da praia: um é indicado para quem quer começar a correr e o outro para quem já pratica e quer se aperfeiçoar. Em comum, os dois programas fortalecem o sistema cardiovascular, aumentam a resistência e exercitam a musculatura. “Para que o trabalho seja completo, é preciso associar aos treinos o fortalecimento muscular. Pode ser com aulas de trampolim, musculação, pilates ou ioga”, diz a especialista. “E o ideal é que o corpo descanse sábado e domingo.” A mudança de iniciante para intermediária deve ser feita quando você conseguir realizar os treinos de sexta-feira sem tomar fôlego. “Até lá são permitidas competições de 5 quilômetros, no máximo, desde que alterne corrida e caminhada durante todo o percurso. Quem tem bom condicionamento físico pode encarar uma prova de 10 quilômetros. Já a maratona exige preparo específico.”

Iniciantes

1ª semana 2ª semana 3ª semana 4ª semana
Segunda-Feira
10 minutos de caminhada + 4 de corrida e 2 de caminhada (oito vezes) + 10 minutos de caminhada 10 minutos de caminhada + 5 de corrida e 2 de caminhada (cinco vezes) + 10 minutos de caminhada 10 minutos de caminhada + 6 de corrida e 2 de caminhada (cinco vezes) + 10 minutos de caminhada 10 minutos de caminhada + 7 de corrida e 2 de caminhada (quatro vezes); + 10 minutos de caminhada
Terça-Feira
40 minutos de fortalecimento muscular 40 minutos de fortalecimento muscular 40 minutos de fortalecimento muscular 40 minutos de fortalecimento muscular
Quarta-Feira
10 minutos de caminhada + 2 de corrida e 3 de caminhada (duas vezes) + 5 minutos de caminhada + 2 de corrida e 3 de caminhada (duas vezes) + 10 minutos de caminhada 10 minutos de caminhada + 1 de corrida e 2 de caminhada (três vezes) + 5 minutos de caminhada + 1 de corrida e 2 de caminhada (três vezes) + 10 minutos de caminhada 10 minutos de caminhada + 1 de corrida e 1 de caminhada (quatro vezes) + 5 minutos de caminhada + 1 de corrida e 1 de caminhada (quatro vezes) + 10 minutos de caminhada 10 minutos de caminhada + 2 de corrida e 1 de caminhada (quatro vezes) + 5 minutos de caminhada + 2 de corrida e 1 de caminhada ( quatro vezes) + 10 minutos de caminhada
Quinta-Feira
40 minutos de fortalecimento muscular 40 minutos de fortalecimento muscular 40 minutos de fortalecimento muscular 40 minutos de fortalecimento muscular
Sexta-Feira
Corra até perder o fôlego, caminhe por 3 minutos e volte a correr até completar 1 hora de treino Corra até perder o fôlego, caminhe por 3 minutos e volte a correr até completar 1 hora de treino Corra até perder o fôlego, caminhe por 3 minutos e volte a correr até completar 1 hora de treino Corra até perder o fôlego, caminhe por 3 minutos e volte a correr até completar 1 hora de treino 
Beijos, Paty
Comentários  |  1
22 de julho de 2011

E viva a gastronomia!!

Santa Catarina está respirando gastronomia neste mês de julho, estamos com diversas festas típicas, vários festivais de gastronomia fervilhando em várias cidades… Joinville, Blumenau, nas praias, enfim, uma loucura. Para mim a gastronimia tem vários significados, é prazer, é experiência, é descoberta, é saúde, equilibrio,  enfim um misto de coisas agradáveis.Amo bisbilhotar novos utensílios de cozinha, experimentar novos pratos,comprar livros, ver programas de tv, inventar umas coisas diferentes, receber os amigos em casa para compartilhar um bom prato enfim, considero uma curtição total.  Nos primeiros posts passei receitas de fondant e de sandubas e sucos light, hj, passo algo mais elaborado, já fiz esse prato em um jantar aqui em casa e foi adesão total, todossss gostaram, por isso, replico à vcs!! É  uma opção leve e ao mesmo tempo saborosa, para mim esse prato representa um pouco do que eu entendo por  gastronomia: o prazer de misturar, experimentar e se apaixonar!

” Ratattouile

Para duas a três porções bem servidas, você vai precisar de:

– 1 berinjela
– 1 abobrinha
– 1 tomate sem pele e sem sementes
– 1 pimentão vermelho
– 1 cebola
– 1 dente de alho
– 50 ml (aproximadamente) de azeite extra-virgem
– Sal e pimenta a gosto
– Temperos variados: folhas de tomilho fresco, manjericão, salsinha, cebolinha. Ou “ervas de provence” frescas, que você encontra em pacotinhos prontos no supermercado, para manter a receita tradicional.

Fatie os legumes em tiras grossas. Os tomates e as cebolas podem ser cortados em quatro. O alho, apenas ao meio. Leve cada tipo de legume para grelhar de cada vez (não coloque todos juntos), pois cada um tem um ponto certo de cozimento. Procure deixar todos “al dente”, o ponto em que você sente uma certa resistência ao morder, mas o alimento já está cozido e macio.

Após os legumes grelhados, corte todos em cubos de mesmo tamanho, exceto o alho, que deve ser picado em tamanho bem pequeno, quase amassado, para se “perder” no tempero. Misture-os e tempere com sal, azeite e os temperos frescos. Deixe-os “descansar” por meia hora, para que todos os temperos se agreguem aos legumes.

A melhor opção é servi-lo em temperatura ambiente, mas pode também ser quente ou frio (nunca gelado). O ratatouille se conserva bem em geladeira por alguns dias. Acompanha bem qualquer carne e é uma excelente alternativa para substituir os acompanhamentos mais calóricos.

*Receita originalmente publicada no blog Centauro Mulher.

Beijos, Paty
Comentários  |  0
22 de julho de 2011

Meu primeiro Oxford!

Depois de muito relutar e refletir, sucumbi e comprei o meu primeiro sapato Oxford!!Confesso que experimentei um, dois, três, andei a loja inteira, botei, tirei, olhei no espelho umas quinhentas vezes, pedi a paciente vendedora rs, annnnnnnny cores, enfim, aquela dificuldade mas, depois de muita olhada no espelho resolvi levar um. Não é uma escolha fácil, a peça de caráter mais masculino divide opiniões, as mais fashionistas amam, várias celebridades descoladas que curtem moda já tem o seu. Não sou fashionista total, curto de tudo um pouco e me considero um estilo básico meio cool, enfim, misturo o clássico com peças diferentes, mais arrojadas … essa em particular não foi das mais fáceis de adquirir, o papinho da vendedora de que ele veio para substituir a sapatilha não colou mas, mesmo assim, comprei um e achei  ele liiiiiiiiindo, uma mistura de marrom e camelo, super legal e descolado, enquanto eu passeava com ele pela loja me vieram any opções de combinação, shortinho, legging, jeans skinny, vestidinho floral com camisa jeans, uma calça de alfaiataria e isso é legal, você olhar, experimentar e se identificar, de nada adianta vc  ter uma peça do momento se não é a tua cara, o legal da moda é interagir o seu estilo com o que encontramos por aí, eu acho q com o Oxford, como as minhas amadas sapatilhas, será um caso de amorrrr, vamos ver… como antes de comprar olhei vários blogs e matérias legais vou postar aqui uma publicada na Marie Claire!!!

“Sapatos Oxford: saiba como usar a tendência de inverno que vai pegar também no
verão.

Por Gabriel Nimimerki

Depois da profusão de paletós e calças boyfriend, mais um
item do guarda-roupa masculino vai ganhar lugar cativo no armário delas. É o
Oxford, calçado fechado, sem salto e de amarrar. Ele surgiu no
século 17, na Inglaterra, e ganhou as ruas por meio dos pés dos estudantes da
Universidade de Oxford (daí o nome). Muitos anos depois, começou a ressurgir na
moda, como no desfile de outono-inverno da Dolce & Gabbana
de 2007.

Leia mais: o jegging é o “it” jeans da estação. Saiba como
usar

Na mesma época, o estilista Alexandre Herchcovitch lançou uma coleção para a
Melissa com sapatos inspirados nessa tendência. Mas foi só neste inverno 2010
que ele apareceu com força – e, pelo que tudo indica, continuará em
alta
também no verão brasileiro, vide desfiles de
marcas como Isabela Capeto, British Colony, Graça Ottoni, Maria Bonita e Printing nas últimas temporadas do Fashion Rio e da SPFW.

O sapatinho é democrático, aparece nas mais diversas versões – há desde os
clássicos pretos aos modernos bicolores, passando pelos metalizados – e fica bem
com calças, saias, vestidos, shorts e até leggings. A dica para usá-lo sem que o
look fique sisudo é apostar nos complementos bem femininos.
“Escolha peças românticas, rendadas e até com brilho para fazer esse mix”,
sugere a personal shopper inglesa Sthepanhie Green, que tem entre seus clientes
as lojas de departamento Top Shop e House of Fraiser.

TRUQUES PARA USÁ-LO

Outra sugestão de Sthepanhie é experimentar combiná-lo a um jeans
boyfriend
ou até mesmo a um jeans de corte mais reto,
enrolando a barra da calça. “É uma ideia simples que deixa a
produção moderna”, diz. “Se estiver muito frio, dá para brincar com meias
grossas de listras coloridas ou padrões de xadrez, deixando que elas apareçam na
altura da canela”.

Essa moda é invernosa? Sim. É clássica? Sim. Mas, acredite: ela dura até o
próximo verão. Celebridades têm usado seus Oxfords em todas as temperaturas e de
todo jeito. A atriz Katie Holmes, por exemplo, apareceu em
pleno verão europeu usando-o combinado a uma saia rodada e a um top fresquinho.
E sem meia! Aliás, a ideia de styling da atriz também foi vista nas passarelas
das últimas temporadas brasileiras de desfiles, que mostraram a tendência
adaptada para os trópicos: o modelo Oxford da British Colony tem aberturas
laterais, como se fosse uma sandália rasteira.

Entre essas releituras há modelos com salto alto, como o mostrado no desfile
da estilista Isabela Capeto, em que o sapato aparece com salto anabela de ráfia.
Há ainda os com acabamentos em verniz, croco, píton… É só escolher o que mais
tem a ver com você. “

Beijos, Paty
Comentários  |  1
Página 745 de 750« Primeira743744745746747Última »