08 de novembro de 2016

A vida acontece….

plenitude

A vida acontece…

Uma vez que você saiba como relaxar, pela primeira vez a vida começará a acontecer. Desnecessariamente estamos nos empenhando em atingir algo; na verdade, o próprio esforço para atingi-lo é a barreira.

 A vida acontece – não pode ser atingida. Quanto mais você se empenha em atingi-la, menos a tem. Você não precisa ir a ela; ela vem por si mesma. Tudo o que é necessário é um estado de total receptividade, de abertura. Você precisa ser um anfitrião da vida. A vida não precisa ser perseguida. Na perseguição está a infelicidade; quanto mais você a persegue, mais distante ela fica.

E a vida contém tudo. Ela contém Deus, a bem-aventurança, a bênção, a beleza, o bem, a verdade, o que quer que você queira – ela contém tudo; nada mais existe a não ser a vida. Vida é o nome da totalidade da existência.

Você precisa aprender a ser pacientemente relaxado, e o milagre dos milagres acontece: um dia, quando você estiver realmente relaxado, algo repentinamente muda; uma cortina desaparece e você percebe as coisas como elas são. Se seus olhos estiverem muito cheios de desejos, de expectativas, de ambições, eles não poderão perceber a realidade. Os olhos estão encobertos com a poeira dos desejos. Toda busca é fútil, é um subproduto da mente. Estar em um estado de não-busca é o grande momento de transformação.  Osho, The Tong-Tip Taste of Tao, # 15”

Hi girls, meio sumida daqui, sorry!! Então hoje estava eu na minha loucura diária no trabalho quando recebi de uma amiga um e-mail com esse texto que eu havia passado para ela em 2012. E ela escreveu ” sempre atual” e não tive como não parar, ler e refletir sobre o que está aqui.

Não sei vocês mas, eu adoro guardar alguns textos e frases que me impactaram ou significaram algo para mim em determinado momento de minha vida e trazê-las à tona novamente. Gosto de pensar no que evoluí, no que melhorei e nos pontos que podia ter melhorado e não o fiz.

Lendo esse texto de novo não tive como não concordar com ela. De fato ele é sempre atual já que fala sobre a vida, sobre essa busca incessante que nos incutem de sempre estar atrás de algo, desejando ou almejando algo. Fala de como isso pode ser nocivo e o quanto isso pode gerar uma ansiedade absurda e mais, expectativas frustradas já que nem sempre as coisas acontecem do jeito e da maneira que desejamos.

Eu há um tempo atrás tinha vários desejos, várias metas que me colocava hoje não mais. Hoje depois de alguns ou melhor de muitos percalços e rasteiras que levei e de algumas decepções parei de desejar e simplesmente passei a agradecer o que recebo. Hoje não me preocupo mais em querer algo ou a atingir determinada condição ou alguma coisa, hoje a minha maior preocupação é ser! Ser uma pessoa melhor, mais feliz, mais grata, mais receptiva e menos preocupada com o futuro já que a velha máxima já diz, que ele, só a Deus pertence, a ninguém mais.

Espero que vocês curtam esse texto e reflitam sobre o sentido das coisas, sobre a maneira como vocês andam levando a vida, criando expectativas ou depositando a sua energia em algo que não vale a pena. Pensem se vale toda essa loucura, essa ansiedade, esse querer tudo, o querer ser sempre o primeiro, o que leva tudo e todas. Eu cansei disso e por isso hoje me contento com o que tenho e com o que sou e a minha única preocupação hoje é deixar a vida no seu ritmo, acontecer, sem pressa, sem pressão ou sem expectativas mirabolantes!! Reeeeee gatitaaaa ameiii receber de vc e mais ainda receber a notícia q vou te ver. Beijos sissss já ansiosa por te ver!!Love you gata!! 

Imagem e texto em aspas:reprodução

Beijos, Paty
Comentários  |  0
13 de outubro de 2016

Relacionamentos….

piramide-meta-clara-1

Relacionamentos: Diga-me com quem andas que te direi quem és, talvez não quem é mas, sim quem irá se tornar.

Já parou para pensar sob essa ótica? Quem são as cinco pessoas as quais mais você convive? Acredite, você é a média delas!!! Como está a qualidade das suas relações? Relação amorosa, familiar, círculos de amizades, colegas de trabalho? São relações saudáveis? Alegres? Te impulsionam para cima ou sugam a sua energia? Agora, presta atenção nessa pergunta, você aprende com as pessoas as quais convive ou apenas ensina? Ou é uma troca mútua de aprendizados e experiências?

Estou te fazendo essa série de perguntas para que você possa avaliar o quão edificantes ou não, são as suas relações. A qualidade dos nossos relacionamentos esta diretamente ligada ao estilo de vida que temos, ou desejamos ter, veja esse exemplo; quando desejamos ter uma vida mais saudável e andamos com um grupo de amigos que amam aquele happy hour regado a chopp gelado e salgadinhos nada nutritivos é possível manter-se nesse círculo de amizades? Provável que nesse primeiro momento você diga que sim, porém ao longo do tempo alguma das partes vai falar mais alto, ou você passa a consumir o que “não gostaria” e conta pra si mesmo uma bela história de convencimento do tipo a vida é muito curta para eu deixar de “aproveitar” com os amigos, ou muda de amizades às quais tenham comportamentos mais parecidos com o objetivo que você deseja atingir, ou seja, ser mais saudável.

A mesma coisa acontece para todas as outras relações, avalie, pense no estilo de vida que você almeja, pare por um momento e trace os seus objetivos em um papel, use o mesmo que já usou para dar as notas para a Fisiologia, Emoções e Significados, anote seus insights e verifique o quanto as suas relações te edificam e te fortalecem para você SER quem tanto sonha, para FAZER aquilo que tanto deseja e por fim TER aquilo que tanto quer!

E agora, de a sua nota para esse degrau da pirâmide da maestria. A nota de como está hoje, e não de como quer que esteja. Seja honesta e avalie com sinceridade. Logo vamos finalizar essa etapa da pirâmide e juntar todas essas notas para que você possa visualizar seus resultados e traçar um plano de ação para possíveis mudanças! Se tiver alguma dúvida no decorrer desse processo fique a vontade para me escrever. Um beijo e um forte abraço, Juli Scheuer/juliana@metaclara.com.br

14440638_1775963302671957_4928896354148568539_n

Beijos, Juliana Scheuer
Comentários  |  0
27 de setembro de 2016

Praticando o desapego!

Praticando o desapego!

Sejamos criteriosas: quanto do seu guarda-roupa tem realmente a ver com você? Ou melhor, quantas peças de seu guarda-roupa você não usa há mais de um ano? Pronto; selecione, desapegue.

Se você ainda não usou a blusinha que comprou naquela viagem, ou aquela calça que arrematou pela promessa do corte que emagrece mas em você simplesmente não funciona: pratique o desapego; doe aquele lenço que é lindo mas nunca se encaixa com o humor do seu dia.

Limpe, permita-se abrir espaço no armário para quem você realmente é. Respeite o que o último ano indicou sobre a sua personalidade e estilo. A única constante em nossa vida é a mudança, isso é um fato. Talvez você tenha mudado de emprego, de namorado, de objetivos. Você se reinventou nos últimos tempos e é natural que algumas peças de roupa não digam mais sobre você. Lembre-se: liberar espaço no armário é liberar espaço ao novo em sua vida.

Existem técnicas na consultoria de imagem que podem ajudar nesta limpeza; a avaliação de seu tipo físico e de sua coloração pessoal são duas delas. Mas aqui o convite é mexer nas suas coisas e trazer consciência sobre quem você é, entender qual estilo te pertence.

E para trazer um pouco mais de objetividade ao post, pensei em indicar um formato de organização que te possibilite ter e manter um guarda-roupa inteligente. Sem preguiça viu? Vai valer a pena! Como já disse Constanza, “um armário com poucas roupas – mas boas, queridas e adequadas – permite que suas escolhas sejam eficazes e rápidas!” A ideia é categorizar e avaliar o percentual que você possui em cada nicho. Com minha sugestão de quantidade, perceba o que você possui demais ou de menos, para descartar com inteligência e comprar com eficiência.

35% de roupas básicas

Elas são indispensáveis para qualquer estilo. Seja você mais clássica, esportiva ou moderna, todo armário precisa contar com uma camisa branca, camisetas de malha, saias retas, calça jeans, um vestido preto, um blazer ou um terno completo.

 praticando-o-desapego-01-roupa-basica

15% de peças de sobreposição

São as peças de sobreposição que transformam nossas composições. A possibilidade de montar um look por camadas o deixará mais criativo e bacana. Será o cardigan, por exemplo, que poderá substituir o blazer em ocasiões menos formais e também trazer elegância quando apoiado sobre os ombros na composição casual. Aqui vale estudar com cuidado quantas peça você poderia usar como sobreposição e as esta desperdiçando!

praticando-o-desapego-02-sobreposicao

5% de roupas de inverno

Aqui vale investir nos clássicos e nas peças bem acabadas, elas duram uma eternidade. Um bom Trench-coat  (de preferência em tom neutro), aquela bota super confortável, um casaco de lã batida com o corte a sua medida e uma jaqueta fominha e confortável para os dias mais frios já dão conta do recado!

praticando-o-desapego-03-inverno

15% de itens festivos

Me refiro aos tecidos ricos, aos bordados impecáveis, às clutches e aos braceletes, àquelas peças que te sustentam em qualquer evento glamouroso. Mas lembre-se, é essencial que você aprenda a usar esses itens também fora dos eventos esparsos ou das festas de final de ano; uma saia de jaquard ou um brinco poderoso – por exemplo – transformarão seu look para uma reunião importante, experimente!

praticando-o-desapego-04-itens-festivos

10% de acessórios atemporais

Um scarpin preto, uma bolsa estruturada e um lenço de seda estão entre os itens que permanecerão no seu guarda-roupa por tempos e tempos, você apenas irá compô-los de acordo com o seu momento.

praticando-o-desapego-05-itens-atemporais

20% de tendência 

Entre o início à massificação de uma tendência são aproximadamente dois ou três anos onde seremos estimuladas até não resistirmos e adquirimos determinada peça. Elas permitem atualizar facilmente o look, dão um ar todo “fashionista” e traduzem nossos desejos momentâneos; além disso, vão e voltam de tempos em tempos. As saias midi rodadas ou com abortamento frontal, os maxi coletes, o sapato oxford ou o tênis esportivo que traz casualidade e conforto instantaneamente são exemplos deste nicho.

praticando-o-desapego-05-tendencia

É claro que o tamanho dos nichos aqui propostos poderão variar de acordo com o teu estilo de vida, essa é apenas uma sugestão. Mas aqui fica o convite para te fazer pensar sobre o teu guarda-roupa e desejar organizá-lo para simplificar a tarefa de se vestir todos os dias, até que se torne um momento prazerozo! (é esse o meu objetivo principal!)

Imagens:reprodução

Beijos, Letícia Becker
Comentários  |  1
Página 2 de 13012345Última »