22 de julho de 2011

Meu primeiro Oxford!

Depois de muito relutar e refletir, sucumbi e comprei o meu primeiro sapato Oxford!!Confesso que experimentei um, dois, três, andei a loja inteira, botei, tirei, olhei no espelho umas quinhentas vezes, pedi a paciente vendedora rs, annnnnnnny cores, enfim, aquela dificuldade mas, depois de muita olhada no espelho resolvi levar um. Não é uma escolha fácil, a peça de caráter mais masculino divide opiniões, as mais fashionistas amam, várias celebridades descoladas que curtem moda já tem o seu. Não sou fashionista total, curto de tudo um pouco e me considero um estilo básico meio cool, enfim, misturo o clássico com peças diferentes, mais arrojadas … essa em particular não foi das mais fáceis de adquirir, o papinho da vendedora de que ele veio para substituir a sapatilha não colou mas, mesmo assim, comprei um e achei  ele liiiiiiiiindo, uma mistura de marrom e camelo, super legal e descolado, enquanto eu passeava com ele pela loja me vieram any opções de combinação, shortinho, legging, jeans skinny, vestidinho floral com camisa jeans, uma calça de alfaiataria e isso é legal, você olhar, experimentar e se identificar, de nada adianta vc  ter uma peça do momento se não é a tua cara, o legal da moda é interagir o seu estilo com o que encontramos por aí, eu acho q com o Oxford, como as minhas amadas sapatilhas, será um caso de amorrrr, vamos ver… como antes de comprar olhei vários blogs e matérias legais vou postar aqui uma publicada na Marie Claire!!!

“Sapatos Oxford: saiba como usar a tendência de inverno que vai pegar também no
verão.

Por Gabriel Nimimerki

Depois da profusão de paletós e calças boyfriend, mais um
item do guarda-roupa masculino vai ganhar lugar cativo no armário delas. É o
Oxford, calçado fechado, sem salto e de amarrar. Ele surgiu no
século 17, na Inglaterra, e ganhou as ruas por meio dos pés dos estudantes da
Universidade de Oxford (daí o nome). Muitos anos depois, começou a ressurgir na
moda, como no desfile de outono-inverno da Dolce & Gabbana
de 2007.

Leia mais: o jegging é o “it” jeans da estação. Saiba como
usar

Na mesma época, o estilista Alexandre Herchcovitch lançou uma coleção para a
Melissa com sapatos inspirados nessa tendência. Mas foi só neste inverno 2010
que ele apareceu com força – e, pelo que tudo indica, continuará em
alta
também no verão brasileiro, vide desfiles de
marcas como Isabela Capeto, British Colony, Graça Ottoni, Maria Bonita e Printing nas últimas temporadas do Fashion Rio e da SPFW.

O sapatinho é democrático, aparece nas mais diversas versões – há desde os
clássicos pretos aos modernos bicolores, passando pelos metalizados – e fica bem
com calças, saias, vestidos, shorts e até leggings. A dica para usá-lo sem que o
look fique sisudo é apostar nos complementos bem femininos.
“Escolha peças românticas, rendadas e até com brilho para fazer esse mix”,
sugere a personal shopper inglesa Sthepanhie Green, que tem entre seus clientes
as lojas de departamento Top Shop e House of Fraiser.

TRUQUES PARA USÁ-LO

Outra sugestão de Sthepanhie é experimentar combiná-lo a um jeans
boyfriend
ou até mesmo a um jeans de corte mais reto,
enrolando a barra da calça. “É uma ideia simples que deixa a
produção moderna”, diz. “Se estiver muito frio, dá para brincar com meias
grossas de listras coloridas ou padrões de xadrez, deixando que elas apareçam na
altura da canela”.

Essa moda é invernosa? Sim. É clássica? Sim. Mas, acredite: ela dura até o
próximo verão. Celebridades têm usado seus Oxfords em todas as temperaturas e de
todo jeito. A atriz Katie Holmes, por exemplo, apareceu em
pleno verão europeu usando-o combinado a uma saia rodada e a um top fresquinho.
E sem meia! Aliás, a ideia de styling da atriz também foi vista nas passarelas
das últimas temporadas brasileiras de desfiles, que mostraram a tendência
adaptada para os trópicos: o modelo Oxford da British Colony tem aberturas
laterais, como se fosse uma sandália rasteira.

Entre essas releituras há modelos com salto alto, como o mostrado no desfile
da estilista Isabela Capeto, em que o sapato aparece com salto anabela de ráfia.
Há ainda os com acabamentos em verniz, croco, píton… É só escolher o que mais
tem a ver com você. “

Beijos, Paty
Comentários  |  1
18 de julho de 2011

Coisa de menina II!! Drenagem linfática manual!! It´s necessary!!

Mais uma dica que vale a pena compartilhar com as meninas: drenagem linfática manual , há três anos eu faço duas vezes por semana e a nível de tratamentos, não tem nada melhor e olha que eu sou daquelas que experimenta tudddddo, já levei choque, congelei, tostei em um forno, fiz gesso, aspirei num aparelho que prometia milagres e só me deixou cheia de manchas roxas, já fiz plataforma, velashape, manthus, enfim, tudo q menciona as palavrinhas mágicas “extermina a celulite” e acreditem, só a velha e boa massagem manual, feita apenas com cremes e as mãos abençoadas da minha massagista Mari é que efetivamente fazem o efeito casca de laranja desaparecer, lógico que é apenas uma drenagem, logo precisamos cuidar da alimentação, ter uma atividade regular e por óbvio muita água pq sem ela, fica praticamente impossível qualquer tratamento fazer efeito!  Segue para  vcs uma matéria que garimpei na internet, bem instrutiva! Enjoy it!

” Massagem melhora a circulação sanguínea e é recomendada no tratamento da celulite.

A drenagem linfática é uma técnica que utiliza a massagem manual para estimular o funcionamento do sistema linfático. Este sistema linfático exerce um papel importantíssimo no organismo, pois constitui uma via acessória pela qual os líquidos podem fluir dos espaços teciduais para o sangue, contribuindo desta forma para manter o equilíbrio e o metabolismo corpóreo.

O principal objetivo, portanto, da drenagem linfática é fazer com que toxinas e líquidos acumulados em excesso sejam eliminados. Por ser um método especializado e dependente da técnica e experiência do profissional, o ideal é que seja realizado por fisioterapeutas ou profissionais habilitados com conhecimentos de anatomia e fisiologia do sistema linfático.

Este tipo de massagem também é muito utilizada no pré e pós-operatório de cirurgia plástica, pois auxilia na redução dos edemas (inchaço). A drenagem linfática também pode ser aplicada sozinha ou somada a outros procedimentos estéticos para potencializar tratamentos da celulite, por exemplo.

Em entrevista sobre o assunto, a esteticista Maria José Costa, apresenta mais detalhes de como a drenagem linfática pode ajudar a conquistar a harmonia corporal. Leia abaixo:
1. O que é drenagem linfática? Como ela é feita?

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que estimula e potencializa o bom funcionamento do sistema linfático. Com isso, toxinas e líquidos acumulados em excesso nos tecidos corporais, responsáveis por inchaços e agravantes de celulite, são eliminados. Ela deve ser realizada com diversos movimentos circulares, bastante precisos e bem suaves.
2. Por que o sistema linfático precisa ser estimulado? Quais os benefícios da drenagem?

A linfa, que circula nos vasos linfáticos, é o líquido responsável pela saída do excesso de água e resíduos metabólicos que ficam nos tecidos entre as células. A drenagem linfática tem por objetivo tornar todo esse processo mais eficaz, aumentando a oxigenação e estimulando a renovação das células. Este processo é de grande benefício para o organismo.
3. Há diferentes tipos de drenagem linfática?

Existem diferentes técnicas de aplicação da drenagem linfática, porém em todas elas, a fim de que se atinja o resultado desejado, os movimentos realizados devem obedecer o fluxo, a sequência e a disposição superficial dos vasos do sistema linfático. Uma técnica muito aplicada é a que utiliza movimentos precisos e lentos partindo de um ponto específico na região a ser tratada, porém contínuos e no sentido do fluxo dos vasos linfáticos associada a aplicação de bandagens na área imediatamente tratada.
4. A drenagem linfática é capaz de modelar o corpo?

A drenagem linfática nada mais é que um estímulo externo ao trabalho natural da linfa. Como falamos, esta técnica ajuda a eliminar o excesso de líquido e toxinas do organismo, que dão a sensação de inchaço. Com a circulação sanguínea mais ativada, o corpo passa a não reter estas substâncias e o resultado é a melhora na vascularização, maior resistência imunológica do organismo e também melhora no contorno corporal.
5. Como a drenagem linfática pode combater a gordura localizada e a celulite?

A má alimentação, estresse, falta de atividade física, cigarro e alterações hormonais contribuem para o processo de retenção de líquidos, que acarreta má oxigenação do tecido e de todos os vasos, incluindo os linfáticos. Quando há problemas de circulação da linfa, a celulite tende a se instalar. A aplicação da drenagem linfática ajuda a diminuir a retenção de líquidos que geralmente está presente nestas áreas, consequentemente contribuindo para a redução da  celulite. A massagem pode e deve ser associada a outros procedimentos estéticos e acompanhada de mudanças de hábitos de alimentação.
6. E contra a flacidez, existe algum resultado efetivo?

Tratar a flacidez de pele não é tarefa fácil. Há, atualmente, algumas opções de tratamento e muita pesquisa científica sendo feita na busca do tratamento mais efetivo. A drenagem linfática, por melhorar a oxigenação e organização das células e fibras de sustentação da área em tratamento pode trazer alguma melhora na aparência da pele. Por fazer tudo isso, podemos afirmar que a drenagem linfática pode contribuir na prevenção da flacidez de pele, pois o organismo consegue produzir um tecido com melhor qualidade nutricional, a  partir da eliminação do excesso de toxinas metabólicas. Porém, ela não recupera a flacidez já existente.
7. A drenagem linfática pode estar associada a procedimentos como o Manthus? Por que?

Sim, o Manthus é uma técnica de ultrassom associada a um estímulo elétrico capaz de reduzir medidas e melhorar o aspecto de ondulação da pele, como celulite e estrias.
8. Com quais outros procedimentos estéticos ela pode estar associada?

Pode ser associada à massagem modeladora, massagem relaxante, pós e pré-operatório, entre outros procedimentos. Vale lembrar que a associação da drenagem a outras técnicas deve ser indicada de acordo com a necessidade do paciente.
9. Durante a drenagem é necessário o uso de um creme para estimular a região que está sendo tratada? Por que?

Não necessariamente. O creme utilizado ajuda no deslizamento das mãos facilitando o procedimento para o profissional que realiza a massagem. A drenagem dos vasos linfáticos e dos tecidos corporais, assim como todo o efeito desejado com ela se dá pela pressão exercida pelos movimentos manuais executados. Por isso, a importância na escolha do profissional que realizará o tratamento é fundamental.
10. Há casos em que a drenagem linfática é contra-indicada?

Sim. Pessoas com histórico de trombose, câncer, pós-cirurgia de fraturas de grandes ossos, pessoas em vigência de processos infecciosos são algumas das situações em que se contra-indica a realização desta técnica. Em caso de existência de doenças ou outras situações em que se tenha duvidas sobre a possibilidade da realização ou não, recomeda-se avaliação médica prévia.
11. Qual o número de sessões iniciais para alcançar o efeito desejado e qual a quantidade de sessões necessárias para manter os resultados, após o tratamento?

Recomenda-se inicialmente sessões 2x/semana, até o total de 10 sessões. Após este período, a paciente deverá ser reavaliada e feitas alterações caso a caso.
Fonte

Maria José Costa – Esteticista da Clínica Aesthera Dermatologia de São Paulo.”

 

Beijos, Paty
Comentários  |  2
18 de julho de 2011

Coisa de menina!! Esmaltessssss!!

Esse post é para as meninas, quarta-feira passada fiz as unhas e como sempre estou buscando novidades usei o FIGO da Impala, acreditem, apesar de não ser um “branquinho” e de por hábito eu não passar mais do que dois dias sem dar as famosas “lasquinhas nas pontas” estou em plena segunda-feira com as unhas devidamente pintadas e os emalte com cara de novinho, ou seja, começo a semana sem um prejuízo!! Outro que tb usei e amei foi o Citrino Nude da Risque, fica lindo, chique, bem cool, vi nas mãos de uma amiga minha e não resisti, sucumbi a onda NUDE. Outro q tb resisti um pouquinho mas, sucumbi e estou amando são os escuros, quase pretos, voltados para o azul marinho e cinza chumbo, quase um grafite! Fica super fashion, bem rock and roll, amei qdo botei nas mãos e nos pés, me achei superrrrrr antenada! Minha necessaira hj não fica sem esses três esmaltes:  Citrino Nude, Figo e Eterno!!!

Beijos, Paty
Comentários  |  3
Página 354 de 355« Primeira351352353354355