01 de dezembro de 2016

Moda com Propósito.

Moda com Propósito 

Adoro o cheiro e a textura de livro novo. Essa manhã, quando aproveitava o sol do verão tardio que finalmente parece chegar, abri a nova obra de André Carvalhal – Moda com Propósito – e logo no prefácio, escrito por Rony Rodrigues, me deparo com esse parágrafo sobre a eterna inconstância da moda, cada vez mais acelerada: “Nessa maré contemporânea, o futuro parece cada vez mais próximo do presente e sentimos que, a qualquer momento, vamos afogar em mudanças. Elas acontecem tão rápido! Mergulhar é questão de escolha, mas navegar é preciso.” 

Esse trecho me fez reviver uma palestra que conduzi dias atrás em São Paulo. O evento, que aconteceu em plena SPFWn42, tinha o objetivo de trazer as principais tendências das últimas semanas da moda e indicar quais as escolhas são ideias para cada tipo de corpo. Com a sala cheia, fomos além. Consegui desenvolver uma linha de raciocínio para fazer as ouvintes transitarem pelas tendências – afinal, estavam lá por essa razão – e terminarem esclarecidas de que, no vai e vem da moda, ou você desenvolve seu estilo próprio e se veste de você mesma ou torna-se refém de uma busca constante (e por vezes vazia) de tentar encaixar-se na imagem que projeta dos outros. 

Se formos entender a moda em sua essência, descobrimos que ela nasceu da busca por individualização. O chefe a tribo, a feiticeira, os guerreiros, cada um possuía a vestimenta para caracterizar-se distintamente dos demais. Foi assim entre as pessoas da realeza, da burguesia e do clero. Com a industrialização e a venda prêt-a-porter, houve a segmentação e a multiplicação de estilos, a pluralidade de opções, a possibilidade de nos vestirmos a partir da escolha. Assim, a tendência de moda surge pela antiga ânsia de diferenciação, da busca por enquadrar-nos em determinados nichos. São estes ciclos constantes, efêmeros e acelerados que estão perto do colapso. Nunca se questionou tanto sobre esse assunto. Na multiplicidade das opções, nunca precisamos tanto parar para mergulhar dentro de nós mesmas e entender o que realmente nos satisfaz.

Por isso quero que desenvolva seu olhar para aquilo que tem realmente a ver com seu estilo, com sua persona. Passe a assistir aos desfiles e interpretar a moda como expressão de sua comunicação, use somente aquilo que a faz sentir bela, confiante e encaixada no seu mundo. Já dizia Clarice Lispector: “Não copie uma pessoa ideal, copie você mesma.”

Com o convite embasado e com olhar consciente, trouxe minha análise das tendências para os principais tipos de corpo para você buscar inspiração. Minha interpretação tem um toque atemporal para que você já possa encontrar essas referências em sua loja preferida.

Tipo Triângulo – Evite marcar os quadris, quando o fizer utilize uma terceira peça para criar uma linha vertical no tronco. Deixe sempre uma parte de pele à mostra e dê atenção a região do cólo. Não despreze a cintura, tanto para desenvolver a silhueta como para marcar a altura – alongando as pernas. Tendências para ficar de olho – Transparência, ombros em destaque (para chamar atenção para a parte superior do corpo), saias assimétricas e fluidez de caimento em saias e vestidos (o que te possibilita usar as pregas – outra grande tendência – mas sempre em tecidos leves).

slide1

Tipo Triângulo Invertido – Crie pontos de atenção na parte inferior. Decotes profundos, linhas verticais e modelagens transpassadas afinam o tronco e deixam a silhueta mais feminina. Tendências para ficar de olho – calças de modelagem mais ampla e cheias de detalhes (aposte nelas para criar um quadril mais amplo, prefira as de caimento reto se não tiver muita altura),  tecidos de cores vibrantes e cintilantes (na parte inferior), mangas com  volume na barra, decotes assimétricos (nadador e de um ombro são perfeitos para você).

foto-2-tipo-tria%cc%82ngulo-invertido-1

Tipo Oval – Valorize as pernas e o colo. Busque trabalhar uma cintura e não dispense a terceira peça para alongar a silhueta. Tendências para ficar de olho – Alfaiataria (está super em alta e é perfeita para te auxiliar a marcar os ombros e trabalhar a cintura sem apertar), capas e casacos longos (ideais para criarem uma linha vertical e afinar toda a silhueta), composições monocromáticas (prefira as cores mais profundas e não deixe de destacar o cento do corpo, com o cós da calça ou saia no lugar), peças assimétricas (para mostrar o que é conveniente). 

foto-3-tipo-oval

Tipo Retângulo – Aposte nos volumes e recortes estratégicos. Estampas, bordados e linhas assimétricas também ajudam a criar a ilusão de curvas. Tendências para ficar de olho – cintura marcada, estampas florais e listras, saias – destaque para as longas esvoaçantes ou com fendas e as minis (elas são as melhores para alongar a silhueta).

foto-4-tipo-reta%cc%82ngulo-1

O assunto “tendência” é amplo, já começo a rascunhar outros insights que valeriam o seu tempo, mas deixarei para o nosso próximo encontro. Por hora, encerro com outra frase desse livro que tanto me inspirou em tão poucas páginas (Moda com Propósito) e sigo em minha contemplação: “Substitua consumo por autoestima.” 

Beijos, Letícia Becker
Comentários  |  0
Deixe um comentário